03/04/17...Vereador Dilceu Tura diz que prefeito Marcelo fez retaliação política após viagem a POA

03/04 23:16:03 - Politica
03/04/17...Vereador Dilceu Tura diz que prefeito Marcelo fez retaliação política após viagem a POA

Vereador Tura denuncia retaliações por ser de partido de oposição

O vereador líder da bancada do PMDB no Legislativo de Tucunduva Dilceu Tura denunciou na tribuna da Câmara Municipal na noite desta segunda-feira (3), que está sofrendo retaliações de parte do prefeito de Tucunduva Marcelo Burin (PP).

         Havia duas semanas o vereador, que também é servidor municipal no cargo de motorista lotado na Secretaria de Educação (Transporte Escolar), encaminhou licença de viagem para articulações políticas em Porto Alegre, onde esteve acompanhado de outros dois parlamentares cumprindo agendas em diversas secretarias.

         Os gestores alegam que o servidor viajou sem autorização e após o retorno determinaram ao Departamento de Recursos Humanos o desconto de dois dias em que permaneceu ausente e o corte do Vale Alimentação do servidor/parlamentar totalizando R$ 548,00. Tura apresentou na tribuna o protocolo em que informava aos seus superiores a necessidade de viajar em razão do trabalho legislativo.

         A medida é autoritária segundo Tura, descabida, desproporcional e não republicana, uma vez que propôs o desconto ou de um período de 30 dias de férias cujo seu direito a gozo está vencido ou de 60 dias de licença-prêmio que possui, haja vista ser servidor municipal havia 23 anos. “A lei me permite ser servidor e vereador e viajei em busca de recursos para o município, não voltamos de mãos abanando, viabilizamos recursos da ordem de R$ 70 mil para instalação de cloradores junto aos poços artesianos e duas academias de ginásticas ao ar livre encaminhadas”, lamenta.

         O parlamentar permaneceu em viagem por dois dias, mas só retirou uma diária no valor de R$ 280,00. “Tiraram esses R$ 500,00 da mesa de um pai de família, que viajou em defesa dos interesses do município, que levanta todo dia ás 5h da manhã e vem para a prefeitura, que neste ano já trabalhou dois dias há mais que o prefeito, pois trabalhou na véspera do carnaval e também efetuou transporte de escolares de sábado”, justificou.

         Tura arrematou: “Fui nesses últimos anos, talvez o primeiro servidor a ter o vale-alimentação cortado, e se o objetivo foi nos calar, intimidar, perseguir, eu garanto que o efeito será contrário, não tenho medo de ameaças e vou continuar fazendo o meu trabalho, com posição e ouvindo a comunidade”, garantiu.    

CONTRAPONTO

Prefeito diz em nota que vereador faltou ao trabalho de forma injustificada

O Prefeito Municipal Marcelo Antônio Burin emitiu nota nesta manhã de terça-feira, dia 4 de abril, onde destaca que o vereador encaminhou ofício no dia 15 de março solicitando autorização para se ausentar do município dias 16 e 17 de março, visando participar de audiências em Porto Alegre e que em nenhum momento requereu férias ou licença prêmio.

O prefeito reconhece que a Constituição Federal não impede que o servidor seja vereador desde que haja compatibilidade de horários. Neste caso, específico o vereador desempenhou atividades ligadas ao mandato em horário que deveria prestar serviços como servidor, deixando de comparecer ao seu local de trabalho caracterizando falta injustificada com todas as implicações legais.

O corte do vale-alimentação foi aplicado conforme determina lei municipal de número 006/2004 em seu artigo 1º, parágrafo 2º: “Perderá direito ao vale alimentação o servidor ativo que no mês anterior ao pagamento faltar injustificadamente ao trabalho, basta uma falta (1 dia) para que se desconte integralmente o vale-alimentação.

Neste ano, destaca nota do prefeito, quatro outros servidores já tiveram o vale-alimentação cortado por faltas injustificadas, portanto a decisão tomada não foi autoritária, muito menos retaliatória, pelo contrário foi cabível, proporcional e republicana, pois se cumpriu o que preceitua lei municipal.

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA