19/06/15... Familiares e amigos de Bibiana Zart fazem ato pedindo justiça

19/06/2015 21:16:30 - Geral
19/06/15... Familiares e amigos de Bibiana Zart fazem ato pedindo justiça

Fotos: Simone L Dahlem- Jornal Folha Cidade

         O dia 19 de junho passou a ser um dia triste para os pais e amigos de Bibiana Canova Zart. A última vez que eles passariam juntos o aniversário dela seria em 2013. Meio ano adiante, dia 6 de dezembro, a jovem seria covardemente assassinada, no momento em que chegava dirigindo o próprio carro na casa onde morava com os pais.

         Os pais da jovem estavam nesta tarde de sexta-feira (19) junto com amigos e familiares, portavam faixas e cartazes e afixaram um na frente do Fórum. Na Praça Central da cidade ao som de músicas preferidas de Bibi (como era chamada em casa) soltaram balões com fotos dela. O protesto silencioso e pacífico mais uma vez pediu a celeridade das investigações e a punição aos culpados.

O CASO

         Houve muita complexidade no trabalho investigativo, pois para a Polícia Civil não há dúvidas de quem planejou matar Bibiana planejou muito bem, e a conclusão do inquérito demorou mais de um ano. A investigação policial chegou a uma explicação para o desfecho daquela fatídica madrugada: Uma execução arquitetada por motivação passional e econômica.

         Dois homens, um deles, casado e residente no mesmo município da jovem, seu amigo desde a infância, empresário bem sucedido, teria sido o mandante. De uma família tradicional ele teria tido um relacionamento com a jovem, que era solteira. Um corretor de valores, com relações profissionais com o empresário mandante, residente em Giruá teria participação no crime, além de uma mulher, cartomante, residente em Três de Maio. Os três foram denunciados por homicídio qualificado cuja pena varia de 12 a 30 anos de reclusão.

PROCESSADOS

No processo que corre sem o segredo de justiça e está com o Ministério Público, a Polícia Civil pediu ao Judiciário as prisões de Norberto Ulmann Filho, Nadir da Rosa Koscrevic e Nolar Kruel Neto      .

O advogado Marcus Vinicius Boschi, que defende Norberto Ulmann Filho, destacou a imprensa nos últimos meses que a ligação do nome de seu cliente a este fato é absolutamente descabida, e o jurista repudia o que chama de ilação nesse sentido. Para a defesa, as conclusões da autoridade policial são precipitadas, porque não são conhecidas nem a identidade nem o paradeiro dos verdadeiros autores do crime. Dois homens em uma moto teriam esperado a vítima chegar em casa quando atiraram nela.  Boschi diz que seu cliente sempre esteve e está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos.

A Delegada de Polícia de Horizontina que chefiou as investigações disse estar convicta da participação destas três pessoas no crime. A equipe de investigação coordenada por Beatrice Didier colheu provas testemunhais e escutas telefônicas que comprovam a participação dos indiciados num inquérito que durou 12 meses e tem 8 mil páginas. O processo criminal pode ter sua movimentação conferida no site do Tribunal de Justiça do RS, sob o número: 104/2.15.0000130-0, e não tramita em segredo de justiça.

FONTE: TJ RS/Policia Civil      

Assunto: Geral

SICREDI COOPERAÇÃO PREMIADA