25/03/17...Executivo protocola projetos na Câmara com informações financeiras divergentes

25/03 15:02:18 - Politica

Planilhas apresentaram números divergentes sobre receitas e gastos projetados com pessoal

Seria erro involuntário com diferença de R$ 11 milhões no orçamento projetado, ou existência de duas planilhas, uma maquiada para impressionar o funcionalismo evitando embates por aumento real e outra real, da verdadeira situação nas finanças de Horizontina? A dúvida surgiu ontem sexta-feira, 24 de março, quando a reportagem verificou e questionou de vereadores dois projetos que haviam dado entrada para apreciação na Câmara a pedido do Poder Executivo, com disparidade de informações no relatório de impacto financeiro que acompanhava os projetos, um que concede a revisão anual aos servidores e outro (já retirado) que pedia a contratação de dois médicos 40 horas.

No projeto 006/2017, que concede a revisão anual, justificando somente a reposição de 4,69% da variação do INPC, a planilha de impacto financeiro que acompanha o projeto, assinada pelo prefeito municipal e pelo Contador do município, informa uma Receita Liquida Projetada de R$ 71.802.957.00 e R$ 36.834.751,00 para a folha de pagamento, que em percentuais significaria 51,3% das receitas, o que acende a luz de alerta e impede o município de promover contratações e/ou permitir ganho real aos salários.

No projeto 008/2017, também protocolado para apreciação na sessão extraordinária, pedindo a contratação de dois médicos 40 horas, o relatório do impacto financeiro, assinado pelo prefeito municipal e contador do município informa que a Receita Corrente Liquida projetada para 2017 é de R$ 84.216.739,00 e os gastos com a folha projetados em R$ 38.076.023,00 totalizando em percentual 45,2%. Informações extraoficiais dão conta que o Governo pediu a retirada deste projeto que contratava os dois médicos após os questionamentos verbais de alguns vereadores.

O terceiro projeto protocolado e que será apreciado junto com o 006 será o de número 007/2017 que estabelece o reajuste do valor do Auxílio Alimentação de R$ 360,00 para R$ 410,00 mensais. Neste, a polêmica é a inclusão de um parágrafo único, onde o Governo tenta vincular o próximo reajuste anual do Auxílio Alimentação à variação do INPC. Alguns vereadores anteciparam contrariedade a este artigo.

A Sessão Extraordinária está marcada para a segunda-feira, dia 27 de março na Câmara Municipal, ás 10h da manhã.

SICREDI COOPERAÇÃO PREMIADA