CLIMATÉRIO E A MENOPAUSA & MÊS DA MULHER

12/03/2014 19:03:59 - Saúde
  CLIMATÉRIO   E    A   MENOPAUSA & MÊS DA MULHER

Médica Carla Irene Franzem divulga ações de atenção à saúde da mulher

 

O atendimento da mulher nesta fase da vida, deve ser um dos objetivos centrais do programa de saúde da família. O médico e a equipe de saúde, devem estar aptos ao atendimento das principais queixas relacionadas ao período do climatério e da menopausa. A mulher no climatério merece cuidados especiais que vão além da simples prescrição de medicamentos. Assim, recomenda-se evitar o ganho de peso, a prática rotineira de exercícios e o uso contínuo da reposição hormonal ou seus análogos (efeitos similares ), para minorar os sintomas e prevenir a osteoporose.

         O QUE É O CLIMATÉRIO?

         É a etapa em que a mulher passa para a vida não reprodutiva. O climatério inclui a época da pré-menopausa e a etapa posterior à menopausa (pós-menopausa).

         O QUE É MENOPAUSA?

         Menopausa é quando ocorre a última menstruação na vida da mulher É decorrente da perda da atividade folicular ovariana. A menopausa pode ser induzida, decorrente da falência ovariana por cirurgia ou iatrogenia (paciente realizando quimioterapia ou radiologia).

         MANIFESTAÇÕES DA SÍNDROME CLIMATÉRICA:

1)      Neurogênicas : são os sintomas mais comuns, representados por calorões, calafrios,palpitações,dores de cabeça,tonturas,insônia,sensação de formigamento nas pernas,cansaço e alterações da memória (esquecimentos ).

2)      Psicogênicas : as manifestações psíquicas mais freqüentes são : depressão,ansiedade,irritabilidade,modificações da  libido ( perda da vontade de relações sexuais ),que se apresentam em intensidade e associações variáveis.

3)      Osteoarticulares: presença de dores ósseas,dores musculares e dores articulares, que estão relacionadas aos processos do envelhecimento e atrofia do sistema osteomuscular. O sedentarismo e a osteoporose são fatores importantes no agravamento destas manifestações.

4)      Epidérmicas : é comum, nesta fase do climatério a atrofia epidérmica (da pele ),decorrente do processo de envelhecimento somado ao baixo nível do hormônio estrogênio. Essas modificações conferem um aspecto senil(velhice) em graus variáveis à pele e redução progressiva dos folículos pilosos.

5)      Ósseas :  a osteoporose caracteriza-se pela redução da massa óssea. Este processo determina manifestações dolorosas variáveis e aumento da fraturas espontâneas, que podem ocorrer nas fases mais avançadas da doença. Com maior freqência há comprometimento dos ossos da coluna e pelve(quadril), que determinam dores lombares, perda de altura e cifose.

6)      Metabólicas: a queda dos níveis de estrogênio determina mudanças no  metabolismo lipídico(colesterol e e triglicerídeos), aumentando os riscos para doença arteriosclerótica. Essas modificações somadas ao diabetes,hipertensão e tabagismo, aumentam os riscos para doenças cardiovasculares.

7)      Urogenitais : atrofia dos órgãos genitais,levando à dispareunia ( dor no ato da relação sexual ), corrimento vaginal,distúrbios da micção( incontinência urinária,dificuldade esvaziamento da bexiga ).

8)      Mamárias : dor nas mamas, edema e alterações na densidade da mama. A maior incidência do câncer de mama, situa-se entre os 45 – 60 anos de idade, por isto o auto-exame da mama deve ser feito pela mulher após cada ciclo menstrual e uma vez ao ano pelo ginecologista. O exame da mama, será realizado pela equipe de saúde, no momento da coleta do exame preventivo do câncer de colo de útero.

COMO CONDUZIR AS MULHERES NO CLIMATÉRIO E NA MENOPAUSA:

         Todas as mulheres deverão realizar seu exame ginecológico e mamário uma vez por ano. É importante também a realização, pelo médico da família, de exames de sangue, urina e em alguns casos específicos a densitometria óssea. A densitometria óssea será realizada em pacientes que possuem fator de risco para osteoporose, como: baixo peso, tabagismo,alcoolismo,menopausa precoce (antes dos 40 anos ),cirrose(doença no fígado),doenças reumáticas,hipertireoidismo,doença inflamatória intestinal e pós-gastrectomia(cirurgia no estômago). Também será indicada a realização da densitometria em pacientes que apresentam evidência radiológica de osteopenia e deformidades vertebrais. Pacientes que já tiveram fraturas na coluna, quadril e punho.

NÃO EXISTEM EVIDÊNCIAS PARA INDICAR A DENSITOMETRIA ÓSSEA DE ROTINA EM MULHERES QUE NÃO APRESENTAM SINTOMAS (ASSINTOMÁTICAS).

         As mulheres na menopausa, apresentam maior incidência de neoplasias (câncer). Os exames indicados com a finalidade de prevenção são: colposcopia(realizado pelo ginecologista),citologia oncótica(exame preventivo),mamografias anuais,ultra-som trans-vaginal ( para avaliar o endométrio). Em mulheres ainda menstruando ou em reposição hormonal cíclica,deve-se realizar o exame logo após o período menstrual. Este exame ainda permite avaliar o útero(miométrio) e os ovários.

         Existem vários esquemas de reposição hormonal, e eles devem ser individualizados para cada caso em particular. Nos dias atuais, a terapêutica de reposição hormonal praticamente não tem contra-indicações a não ser nos casos de doenças tromboembólicas, doenças hepáticas e pacientes fumantes. As mulheres deverão seguir o acompanhamento de seu médico regularmente, para que seja feito o tratamento adequado para cada uma delas.

         Portanto, procure seguir seu acompanhamento no posto de saúde de seu bairro, juntamente com a equipe de saúde da família e você terá uma excelente qualidade de vida, prevenindo as doenças na velhice.

                                    Unidade de Saúde da Família Centro

                                    Dra. Carla Irene Franzen – MÉDICA – PSF-

GIRO AMBIENTAL