Conselho de Trânsito de Horizontina esteve reunido nesta quarta

16/04/2014 22:27:08 - Trânsito
Conselho de Trânsito de Horizontina esteve reunido nesta quarta

Executivo não tem uma política pública definida para o trânsito diz CMT

O inicio da noite desta quarta-feira (16) marcou importante reunião para criação do Regimento Interno do Conselho Municipal de Trânsito de Horizontina. O importante órgão, que até então não possuí regimento, também carece de estrutura de sede, o que não deixou de ser levantado como prioridade. O presidente é que leva para casa livros, atas e  documentos relativos ao órgão.

A informação do Secretário Executivo da Câmara Dari Nass, representante do legislativo no CMT é de que na nova sede da Câmara Municipal haverá uma sala exclusiva destinada ao trabalho dos conselhos municipais, mas o prédio ainda não tem data para inauguração.

         Os conselheiros também analisaram pedidos da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio para que sejam feitas melhorias no entroncamento de acesso ao Parque de Eventos João de Oliveira Borges, em frente ao posto dos eucaliptos(rotatória) e a possibilidade de implantação de um redutor de velocidade ou lombada estendida na Av. Dahne de Abreu, sentido centro/bairro, próximo ao nº 2096 (Bar do Poder)

Algumas discussões também foram voltadas para alterações viárias, com análise de imagens coletadas em ruas centrais da cidade, como próximo a prefeitura municipal, rótula do CFC Bianchi e manobras para saída do estacionamento oblíquo, onde deve ser implementadas mudanças nos espaços de estacionamentos.

O pedido de empresários da rua Uruguai entre a Dahne de Abreu e Rua Buricá que pedem o fim da mão única e que entregaram ofício e abaixo assinado ao Departamento Municipal de Trânsito, recebeu contraponto de empresários da Rua Buricá e Avenida Tucunduva que defendem a continuidade do atual modelo, que distribui o trânsito para as duas vias alternativas e vitaliza o comércio e amplia a segurança.

A John Deere Brasil esteve representada no encontro fazendo sugestões para maior segurança junto a Avenida Jorge Logemann onde estão espaços de estacionamento de seus colaboradores e que precisam atravessar a avenida. As sugestões recebidas serão todas estudadas e encaminhadas ao Poder Executivo.

A direção do CMT mais uma vez lamentou a falta de aproximação do Executivo com o órgão. Por vezes ações urgentes são debatidas no Conselho mas a morosidade da tomada das decisões por parte da prefeitura acaba desmobilizando até mesmo a participação nas reuniões. Sem contar, disse o presidente do CMT João Carlos Amadori, que os integrantes do conselho mais faltosos nas reuniões ordinárias, são justamente os representantes com assento em nome do Poder Executivo. O CMT também cobra do Governo Municipal uma política definida para a área do trânsito. Denuncia também a falta da JARI- Junta Administrativa para Recursos Infracionais e a estrutura precária do Departamento de Trânsito.

GIRO AMBIENTAL