Emater/RS-Ascar: Relógio do Corpo Humano com plantas medicinais em Nova Candelária

10/07/2015 08:40:01 - Geral

Créditos: Maira Dill - Assessoria de Comunicação

Inserido no projeto socioassistencial “Nosso Modo de Viver”, a Emater/RS-Ascar em parceria com o Centro de Referência em Assistência Social de Nova Candelária promoveu um encontro no dia 30 de junho, na localidade de Santo Antônio, para debater e esclarecer sobre a utilização de plantas bioativas. Na oportunidade, as famílias da comunidade foram orientadas e conheceram na prática um horto medicinal em formato do relógio do corpo humano.

Segundo a extensionista de Bem-Estar Social Ana Carolina Schittler, o projeto socioassistencial “Nosso Modo de Viver”, no qual a atividade esteve inserida, tem como objetivo promover ações que fortaleçam o convívio familiar e comunitário, com um espaço para a troca de ideias e esclarecimento de dúvidas sobre saúde, alimentação, geração de renda e políticas públicas. O projeto visa também proporcionar momentos de lazer e descontração. O encontro sobre plantas medicinais contou com a participação da palestrante Vanessa Gnoatto, assistente técnica regional da Emater/RS-Ascar, na área de Bem-Estar Social.

Vanessa explanou sobre o conceito e o funcionamento do relógio do corpo humano, benefícios do uso de plantas bioativas para a saúde, identificação de plantas, formas de uso e cultivo.

Na oportunidade, foi promovida uma troca de mudas de chás e temperos trazidas pelos participantes, incentivando o intercâmbio de conhecimentos e fomentando o cultivo e o resgate de saberes populares.

Após a palestra, foi realizada uma visita à propriedade da agricultora Ida Mallmann, que mantém em sua residência um horto em formato do relógio do corpo Humano, instalado com o auxílio de extensionistas da Emater/RS-Ascar e de alguns moradores da comunidade. Neste local estão sendo multiplicadas mudas de várias plantas bioativas que serão distribuídas no evento Fórum pela Vida, que ocorrerá no dia 25 de setembro, em Nova Candelária.

Saiba mais sobre o Horto em Formato do Relógio do Corpo Humano

Na prática, para o tratamento de uma enfermidade com o máximo de êxito, é sugerido fazê-lo nas horas propícias em que o órgão a ser tratado estiver em estado de pico energético. O horto é então dividido em parcelas com o nome do órgão, seu horário preferencial de tratamento e as plantas indicadas.  Baseado no ciclo circadiano, acredita-se que a energia vital percorre em um ritmo que a cada duas horas um órgão ou víscera diferente é beneficiado de forma mais intensa.

Por exemplo, da 1 às 3h, é hora de cuidar do fígado com plantas como boldo, losna e alcachofra. Já das 3 às 5h, o principal beneficiado seria o pulmão, com plantas como sálvia do Rio Grande, pulmonária e guaco. Entre as 5 às 7h, é a vez de cuidar do intestino grosso, podendo ser utilizado a linhaça; das 7h às 9h, do estômago, sugere-se o uso de carqueja e manjerona ; das 9h às 11h do baço e do pâncreas, com pariparoba e malva ; das 11 às 13h, capriche no cuidado com o coração, fazendo uso de melissa, gengibre, sálvia; das 13 às 15h, chega a vez do intestino delgado, podendo ser utilizado plantas como mil em rama e funcho ; das 15h às 17h, da bexiga, com tansagem e quebra-pedra; das 17h às 19h, dos rins, com cavalinha e salsaparrilha; das 19h às 21h, da circulação, com hortelã e poejo; das 21h às 23h, do sistema digestivo, respiratório e excretor, podendo ser utilizado o orégano e alfavaca; e das 23h à 1h é recomendada atenção com a vesícula biliar, fazendo uso de alecrim e tomilho.  No centro do relógio, o cuidado é com a pele, cultivando plantas como confrei, camomila, calêndula, babosa, celidônea e cobrina.

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA