ESPECIAL: Dia mundial da Saúde e o Dia mundial de combate ao Câncer

12/04/2015 13:48:08 - Saúde
ESPECIAL: Dia mundial da Saúde e o Dia mundial de combate ao Câncer

Foto arquivo:

Anelize Katiane Espindola

Duas grandes datas para a saúde da população marcaram a semana. A maioria das pessoas se considera saudável quando está sem nenhuma doença, porém, a falta de enfermidades não significa saúde. Dizer que uma pessoa está e é saudável requer a análise de um conjunto de fatores, tais como a qualidade de vida, aspectos mentais e físicos. A saúde deve ser vista como uma forma de total bem-estar, através do tratamento e prevenção de doenças.

De acordo com a lei 8.080 de 1990, a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. A lei também enfoca que, para ter saúde, alguns fatores são determinantes, tais como a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a educação, a atividade física, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais. Sendo assim, pode-se perceber que muitos fatores, por mais insignificantes que sejam, podem e na maioria das vezes afetam a vida e consequentemente a saúde.

No dia 07 de abril comemorou-se o Dia Mundial da Saúde, data criada em 1948 pela Assembleia Mundial da Saúde que tem como objetivo conscientizar a população a respeito da qualidade de vida e dos diferentes fatores que afetam a saúde populacional. É fundamental que, além de cuidarmos com a saúde, participemos da luta por melhorias da mesma em nosso país.

Já no dia 8 de abril, comemorou-se o Dia Mundial de Combate ao Câncer, uma data que tem como objetivo chamar a atenção de líderes políticos e de toda a sociedade em geral para o crescimento dos índices da doença nas duas últimas décadas.

O câncer, também conhecido e chamado de neoplasia, é um conjunto de mais de 100 doenças que se caracterizam pelo crescimento desordenado de células, essas que se dividem muito rapidamente, invadindo tecidos e órgãos formando tumores que podem se expandir para outras regiões do corpo. O câncer possui causas variadas, podendo surgir de fatores externos, como o ambiente em que a pessoa vive ou hábitos e costumes presentes no dia a dia; ou também por fatores internos, que na maioria das vezes estão geneticamente predeterminados.

O tratamento do câncer pode ser feito através de quimioterapia, na qual são utilizados vários medicamentos para combater o tumor; radioterapia, na qual se utilizam radiações para destruir o tumor ou impedir que suas células continuem se dividindo.

O IMAMA, Instituto da Mama no Rio Grande do Sul é uma organização sem fins lucrativos, que tem como principal objetivo conscientizar a sociedade acerca da importância dos cuidados com a saúde da mama, enfatizando a necessidade da realização dos exames anuais, além da realização do auto toque para a detecção precoce do câncer para maiores chances de cura, além da qualidade e agilidade em todos os processos de atenção à saúde da mama.  

O IMAMA de Três de Maio realiza palestras durante todo o ano para alertar as mulheres de toda a região para a realização dos exames, além de, tentar trazer uma vitoriosa para dar seu depoimento de como é importante realizar os preventivos e descobrir a doença em seu estágio inicial para ter-se um bom e efetivo tratamento, realizam ainda a Caminhada das vitoriosas, capacitação para o voluntariado, Pink Stop (distribuição de folders em pontos da cidade), IMAMA na escola com as turmas do 4° ano, dentre outras.

Segundo a supervisora regional Elizabeth Caraffa, o instituto já chegou até muitas mulheres da região por meio do trabalho voluntário, que são as palestras e, que somente por meio disso, conseguiram fazer com que muitas perdessem o medo de se conhecer melhor e de realizar os exames preventivos. Ressalta ainda que, “o público de Três de Maio é muito receptivo e abraça a causa, por exemplo, no mês de outubro todo o comércio vestiu a camiseta do IMAMA e enfeitou seu estabelecimento de rosa, isso nos deixa muito contente por que assim podemos perceber que eles reconhecem e valorizam a nossa causa” finaliza.

Tratamento medicamentoso avança, mas a prevenção é o remédio mais eficaz diz oncologista

O médico oncologista Sérgio Fernando Hesler, de Santa Rosa (foto), destaca que o tratamento curativo medicamentoso avançou nos últimos anos, mas o câncer ainda é a segunda causa de mortes diagnosticadas no Brasil, atrás somente das enfermidades cardíacas. O médico diz que a prevenção é que amplia sobremaneira as chances de cura.

Nas mulheres o câncer de mama diagnosticado em estágio inicial, isto é, com tumores de até 2 cm, tem 85 a 90% dos casos perfeitamente curáveis. No geral afirma o médico, atualmente 60% de todos os casos de câncer estão tendo sucesso no tratamento.

O oncologista também valoriza os avanços ocorridos no tratamento medicamentoso, ou seja, as drogas que tratam o câncer. –“Elas estão se tornando mais específicas, pois antigamente tínhamos um tipo de quimioterapia para tratar vários tipos de tumor, agora essas drogas dão lugar a outras que nos possibilitam tratar cada tumor com a droga específica para ele indicada, diminuindo os efeitos colaterais”.

Ele explica que os chamados anticorpos monoclonais drogas classificadas como de alvo dirigido, agem diretamente nas células doentes. Outra classe de remédios os antiangiogênicos bloqueiam o crescimento do câncer, pois eles diminuem a formação de veias novas que os tumores precisam para se manter, em linguagem leiga “o câncer morre de fome”, pois ele precisa sangue para se manter e nesse caso o tratamento diminui o alimento dele.

A região Fronteira Noroeste onde o médico atua através de seu trabalho junto a área de Oncologia do Hospital Vida&Saúde e na sua clinica particular, tem maior incidência de câncer de mama e câncer de colo de útero da mulher e do câncer de próstata nos homens. No entanto, no caso dos homens, o câncer de próstata não é o que mais mata. O que mais leva o paciente masculino a óbitos são os tumores relacionados ao cigarro, por exemplo, o câncer de pulmão.

A partir dos 45 a 50 anos o homem deve fazer o acompanhamento anual de próstata através de seu médico e quando fuma avaliação da situação pulmonar através da radiografia.

A partir dos 50 anos a Organização Mundial da Saúde orienta que homens e mulheres também façam a cada 4 ou 5 anos o exame do intestino (colonoscopia). E em caso de existência dessa patologia em familiares de primeiro grau a avaliação deve ser constante independente da idade.

 

Assunto: Saúde

GIRO AMBIENTAL