Executivo realiza coletiva de imprensa sobre o caso do Queijo Compensado

17/06/2015 17:25:55 - Geral
Executivo realiza coletiva de imprensa sobre o caso do Queijo Compensado

Créditos: Caroline Costa - Assessora de Comunicação

Na manhã de hoje, 17, o prefeito municipal, Olívio José Casali, em coletiva de imprensa comentou sobre a operação Queijo Compensado 1 do Ministério Público, que aconteceu ontem nos municípios de Ivoti e Três de Maio.

Na oportunidade, o prefeito Casali ressaltou que o município de Três de Maio e a Administração Municipal não tem nenhum envolvimento com o episódio, explanando que a empresa citada nas investigações somente produz dentro do município, como tantas outras que estão instaladas em Três de Maio.

O funcionário público citado pelo Ministério Público foi afastado do cargo ontem a tarde para que o mesmo possa ser ouvido em processo investigatório, e a Administração Municipal iniciou uma sindicância disciplinar própria. Se for provada a culpa do servidor público em decisão judicial, o mesmo será definitivamente afastado de suas funções.

Casali enfatizou ainda que não compactua com qualquer tipo de fraude, demonstrando sua imparcialidade no caso. “Como prefeito e Administrador Municipal fico triste em ver mais um caso de fraude e peço que o Ministério Público trate este caso com muita seriedade, apurando todos os fatos e condenando os culpados”, explanou.

O novo secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Dilson Mireski, já foi nomeado interinamente e atualmente está analisando os trabalhos da pasta para que o mesmo possa realizar um bom trabalho a frente da Secretaria.

 

Segue o pronunciamento do prefeito municipal Olívio José Casali:

Saúdo a todos os repórteres de veículos da comunicação falada, escrita e eventualmente da comunicação televisada. Saúdo também os caros munícipes e ouvintes das emissoras

Na condição de gestor público do Município de Três de Maio sinto-me na obrigação de dar um esclarecimento de um acontecimento insólito ocorrido, denominado pelo Ministério Público de Queijo Compensado, e que envolve uma indústria do interior do Município. Procurei tomar conhecimento dos fatos, porque soube oficialmente através das divulgações através da mídia. Até então, não sabia absolutamente de nada a respeito deste assunto que veio à tona durante o dia de ontem.

Para início de conversa, o Município de Três de Maio e a administração municipal não tem nenhum envolvimento neste episódio, mesmo porque não foi citado pela Justiça e nem foi incluído em processo criminal. A população tresmaiense pode ficar bem tranquila. A empresa envolvida no episódio do Queijo Compensado não tem ligação nenhuma com o Município. É uma empresa igual a tantas outras que produz dentro do Município, usando matéria-prima adquirida dos produtores da bacia leiteira da região. E, assim sendo, o Município não tem por que ser investigado pela Justiça.

A administração municipal para o conhecimento dos ouvintes está isenta de culpa e dolo. E como gestor público responsável este prefeito não compactua com fraude de nenhuma espécie e sempre temos defendido a inteireza e o procedimento correto, tanto nos órgãos da municipalidade, como em todos os segmentos do Município. Jamais admitimos que se cometessem ações que desabonam à sã filosofia administrativa. Sempre fomos favoráveis ao procedimento correto dos servidores públicos e das nossas instituições, bem como entidades comerciais, industriais e prestadoras de serviços.

Por isso, o Município e este prefeito não vai poupar esforços, para que os fatos sejam plenamente elucidados e postos às claras, cujo papel cabe ao Ministério Público e, se houver eventuais envolvidos neste acontecimento que nos deixa aborrecido, que respondam pelas penas da Lei. O que não admito que seja enxovalhada a gestão pública, que até então, sempre teve comportamento altaneiro e transparente, jamais tendo havido sequer insinuações de falta de inteireza dos atos e ações praticadas.

Quanto ao funcionário citado pelo Ministério Público, até então da inteira confiança do Poder Executivo, para ser ouvido em processo investigatório, foi afastado ainda ontem, através de Portaria e ainda ontem foi iniciado um processo disciplinar e, se for provada a sua culpa do servidor em decisão judicial, será definitivamente afastado de suas funções. O mesmo deverá responder pelos seus atos, se eventualmente tenha culpa no cartório.

A administração municipal se posiciona de forma equidistante, não apoiando e nem defendendo os eventuais envolvidos neste caso do Queijo Compensado e nem do Leite Compensado, que nos tempos mais recentes aconteceu em vários municípios da região e também em outras regiões do Estado. Esperamos e desejamos que a Justiça desenvolva a sua atividade de forma isenta e transparente, e busque os responsáveis pelas transgressões legais, para que o justo não pague pelo pecador.

Ademais disso, prezados munícipes e ouvintes, a administração municipal proclama aqui e agora que nesta gestão municipal se desenvolveu um trabalho gigantesco, jamais desenvolvido nos 60 anos da emancipação de Três de Maio, em benefício do produtor de leite, criando o Programa Municipal do Leite Sustentável, que deu certo e mudou a economia primária do Município para melhor e nos empenhamos como jamais alguém se empenhou para trazer o complexo industrial do leite para cá, buscando recursos do Fundopem, para viabilizar a vinda da BRF e da Nutrifont, que hoje, dá ao Município um novo status de Cidade Industrial do Leite, mesmo porque daqui saem produtos que vão para o mercado mundial, graças à evolução de nossa bacia leiteira, que infelizmente vem sendo conspurcada por aproveitadores eventuais. E como diz o ditado: a ocasião faz o ladrão.

Estes fatos do Leite Compensado e do Queijo Compensado acontecem aqui, porque aqui se produz muito leite e este produto é facilmente malversado. E também temos várias unidades que fabricam o queijo e por essa razão, vêm a tentação para este tipo de mistificação de produtos. Fraudes sempre houve e, sem dúvida, é decorrência da falta de uma fiscalização mais atuante, e por falta de fiscais atuantes nos diversos segmentos, tanto a nível estadual como federal, acontecem rombos de milhões com sérios prejuízos para os cofres públicos.

Mas este prefeito quer e exige o tratamento sério e sem vacilos das coisas públicas neste período administrativo e não admite transgressões de nenhum natureza, porque estou no quarto mandato e jamais houve um senão que de qualquer forma denegrisse ou envolvesse o poder público municipal. Exijo a rápida apuração de todos os fatos, porque não admitimos prejuízos aos cofres públicos e muito menos à saúde da população por malversação. Quero que tudo seja apurado nos mínimos detalhes doa a quem doer.

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA