Fetag estima que 20 mil produtores de leite já abandonaram a atividade no RS

29/05/2015 10:07:05 - Geral
Fetag estima que 20 mil produtores de leite já abandonaram a atividade no RS

Créditos: Divulgação

Com 97% da produção de leite vinda da agricultura familiar, em áreas de até 20 hectares, o Rio Grande do Sul pode ter perdido mais de 20 mil produtores nos últimos cinco anos. O tamanho do abandono é estimado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado (Fetag-RS), que terá dados oficiais e mais precisos sobre o cenário com a divulgação do Censo do Leite, nesta sexta-feira na 38ª Expoleite e a 11ª Fenasul no Parque de Exposições Assis Brasil de Esteio.

O desestímulo dos produtores decorre da baixa remuneração do trabalho e do aumento dos custos de produção, agravados por falta de pagamento e falência de empresas, algumas envolvidas em fraudes. Em dois anos, 13 indústrias de leite deixaram de operar ou entraram em recuperação judicial no Estado.

Pelos dados da entidade, o Estado tinha pouco mais de 120 mil produtores de leite em 2010. Desde então, o número caiu cerca de 20%. No ano passado, estima-se que 7 mil famílias tenham sido excluídas da cadeia, boa parte em razão de indústrias e pequenos laticínios terem deixado de recolher o produto nas propriedades com volume inferior a 50 litros em locais de difícil acesso. Se nada for feito, estima-se que outros 30 mil produtores abandonem a atividade nos próximos cinco anos.

Ao comparar a produção de leite do Brasil e da Nova Zelândia, referência mundial em produtividade, a necessidade de profissionalização brasileira fica ainda mais evidente. Embora os neozelandeses tenham em média um funcionário para cada 200 animais e no Brasil a relação seja de 20 vacas por trabalhador, os resultados obtidos pelos dois países mostram a importância da eficiência.

SICREDI COOPERAÇÃO PREMIADA