Governo do Estado retoma repasse de verbas para Hospital Oswaldo Cruz

19/04/2015 16:10:36 - Saúde
Governo do Estado retoma repasse de verbas para Hospital Oswaldo Cruz

Presidente Délcio Steffens, secretário de Saúde do RS João Gabbardo e Prefeito Nildo

A criação de uma Associação Beneficente sem fins lucrativos para administrar a gestão do Hospital Oswaldo Cruz de Horizontina foi aprovada pelo Governo do Estado, que retomou na última sexta-feira (17) através de assinatura de convênio (foto) os repasses de recursos pelos serviços prestados ao sistema SAMU e atendimentos de referência SUS.

         Por ser uma empresa particular, pertencente a um grupo de médicos, o Oswaldo Cruz encontrava obstáculo da legislação desde o ano passado para receber recursos dos governos estadual e federal. Os recursos são repassados somente para as instituições que mantenham caráter de filantropia, isto é, não visam lucros a um grupo privado de pessoas.

         A nova associação deverá assumirá a gestão do Hospital Oswaldo Cruz a partir de maio. Ela deverá a princípio locar a atual estrutura hospitalar, fazer a contratação de médicos e equipe de trabalho, bem como efetuar convênios com os municípios da microrregião atendida. A criação da associação por si só não resolve o problema do déficit de em torno R$ 150 mil mensais que vinha sendo acumulado pela instituição hospitalar. A diretoria encabeçada por Délcio Steffens terá de encontrar através da venda de serviços e apoio dos municípios e da comunidade local e regional formas para viabilizar-se financeiramente. O gestor agardeceu o apoio da atual direção do hospital, ao vereador Rafael Godoy, ao deputado Osmar Terra e ao Governo Municipal pelos esforços de buscar uma alternativa ao risco eminente de fechamento dos atendimentos pelo SUS junto a instituição. 

         Atualmente o município de Horizontina repassa R$ 55 mil mensais para manutenção do serviço de urgência e emergência, o que perfaz um total de R$ 660 mil/ano. Também mantém com o hospital o Plano de Saúde dos Servidores Municipais, repasse compartilhado com percentual descontado dos servidores e parte desembolsada pelo empregador (município) que eleva o aporte para quase R$ 1,5 milhão. O município também efetua compra de serviços oferecidos pelo hospital em exames de média e baixa complexidade e segundo informa a prefeitura as transferências giram próximo aos R$ 2 milhões anuais em recursos municipais.  

         Além dos atuais R$ 55 mil diretos ao plantão, a nova direção da Associação Beneficente Oswaldo Cruz espera um aporte de outros R$ 150 mil da prefeitura mensalmente para tornar-se viável, mas o montante está sendo considerado muito elevado pela gestão municipal. As negociações devem evoluir a partir da semana que vem.

          Para aumentar o repasse dos valores, o município exige entre outros aspectos a ampliação do corpo clínico e das especialidades ofertadas pelo referido hospital (mais médicos e mais serviços), e assento de membros ligados à gestão da saúde municipal para auxiliar em gestão compartilhada a nova administração e um amplo debate com a comunidade e o Conselho Municipal de Saúde, sobre o futuro do hospital.

         O município destaca que garantirá no que lhe compete o atendimento dos plantões médicos e SUS neste período de transição. Em

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA