HORIZONTINA: Emoção marca homenagem aos 100 anos de Arnoldo Schneider

20/10/2014 15:13:38 - Geral
HORIZONTINA: Emoção marca homenagem aos 100 anos de Arnoldo Schneider

Descendentes de Arnoldo e Emma Schneider em frente ao monumento

  Familiares de Arnoldo Schneider, entre eles os filhos Romeu, Zilda e Irene participaram de evento emocionante na manhã deste domingo (19) junto ao campus da FAHOR, que leva o nome do empresário, que nos idos anos de 1940 desembarcava na vila de Belo Horizonte para instalar uma serraria que daria início mais tarde ao processo de industrialização da cidade, berço da fabricação de colheitadeiras automotrizes.

         Autoridades do município e a comunidade escolar da Rede Sinodal estiveram na sede do campus da faculdade onde inicialmente foi celebrado um culto seguido da solenidade. Emocionado Romeu Schneider falou em nome da família. Por várias vezes interrompeu a palavra e não conteve o choro. “Eu saí de Horizontina por motivos profissionais, mas Horizontina nunca saiu de mim”, encerrou. Por várias vezes o empresário agradeceu a homenagem prestada ao legado deixado pelo pai.

         Arnoldo Schneider que completará terça-feira (21) seus 100 anos, foi lembrado nas palavras do prefeito municipal Nildo Hickmann, do amigo Elemar Jacob Beck e do diretor geral da FAHOR Sedelmo Desbessel. “Era um homem simples, empreendedor, de espírito comunitário, que valorizava viver em família e na comunidade”, endossaram todos.

         O monumento histórico e etnográfico é de aço corten projetado pelo designer, escultor e gestor de marcas horizontinense Roberto Gerhardt instalado no hall de entrada do campus,  foi apresentado pelo próprio artista aos presentes e simboliza a vida de trabalho de Arnoldo e Emma Schneider.

Uma síntese gráfica retrata a imagem do homenageado a partir de uma fotografia resgatada por Paulo Roberto Vasconcellos e exposta sobre as páginas de um livro, simbolizando a busca do conhecimento e o alimento da alma que a leitura representa na vida das pessoas. No monumento também está simbolizada a história da comunidade luterana através da rosa de Lutero, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana, uma família, o trigo simbolizando o alimento do corpo e a colheitadeira símbolo maior do município e que remete aos irmãos Schneider numa sociedade com Jorge Logemann o fato de inserir a região no mapa da indústria brasileira.

Em cada um dos painéis da obra o artista insere ainda em plano subliminar as letras E M M A que forma o nome da esposa de Arnoldo, Dona Emma, de grande trabalho comunitário no município.  O local onde está o monumento será cercado de árvores formando no futuro um túnel verde com passeios e espaços de estar tanto para ambiente de estudo dos acadêmicos, bem como, lazer da comunidade. 

Assunto: Geral

GIRO AMBIENTAL