HORIZONTINA: Gestão da Câmara de 2014 é a que menos gastou com diárias na década.

21/12/2014 06:50:47 - Politica
HORIZONTINA: Gestão da Câmara de 2014 é a que menos gastou com diárias na década.

Imagem Ilustrativa

Com despesas de um montante de R$ 899.978,00 em diárias na última década e com ápice dos gastos na legislatura 2005/2008 um levantamento dos custos do Legislativo de Horizontina com diárias feito pelo Jornal Folha Cidade nesta semana mostra que o ano legislativo de 2014 que está findando é o que custou menos para os cofres municipais, com gasto de R$ 36.502,00. A última sessão ordinária do ano será na noite desta segunda-feira (22) ás 19h, ainda sob a presidência de Alessandro Rafael dos Santos ( PTB). O presidente do ano de 2015 já está definido será Averì Padoín do PP.

         Os últimos dez anos em números apresentam as gestões da presidência da casa por vereadores do PDT como as que custaram mais caro ao município. Foram R$ 488.635,00 autorizados para viagens pelas gestões 2005 de Paulo Fischer, 2006 de Cledi Stein e 2007 e 2008 de Adilson Abran. A campeã de gastos é a mesa diretora de 2008 com R$ 138.546,00, seguida pela de 2007 com R$ 135.798,00, ano 2005 com R$ 120.242 e ano 2009 presidida por Álvaro Callegaro (PP) com R$ 100.092,00. Cledi Stein (PDT) em 2006 autorizou viagens para R$ 96.049,00. Gestão da mesa de 2005 iniciou com presidência de Ricardo Sauer (então no PTB) que suspendeu as diárias. Após seis meses, Ricardo teve de renunciar a presidência por incompatibilidade acusada pela Ordem dos Advogados do Brasil e então assumiu Paulo César Fischer que autorizou a maioria das viagens gerando despesas de R$ 120.000,00, questionadas inclusive em ação do MP.

 

         A gestão de Zuleica Wehner (PTB) presidente em 2010 iniciou uma linha de diminuição dos gastos, que embora pequena baixasse para R$ 70.845,00. No ano seguinte, 2011, Airton Matjjie (PP) reduziu ainda mais e o custo caiu para R$ 63.302,00.

         Os dois anos de gestão de Gerson de Moura (ainda no PDT), no entanto, voltaram a aumentar, embora pequena e menor que nas gestões de Adilson, Álvaro, Paulo e Cledi, foram R$ 67.862,00 em 2012 e R$ 70.740,00 em 2013. Alessandro dos Santos tentou reduzir o valor monetário individual das diárias, mas a Resolução Legislativa foi reprovada. Mesmo assim estabeleceu controle nas viagens conseguindo uma redução de em torno 50% no custo diárias em 2014, se comparado com 2013 e 2012. No comparativo com 2008, por exemplo, a economia superou os R$ 100.000,00. 

         Nos últimos dez anos, o levantamento FC, mostra que campeão de diárias é Gerson de Moura antes do PDT e havia um ano nos quadros do SDD. O vereador gerou custo aos cofres municipais e embolsou em viagens de cursos, seminários e articulações políticas R$ 107.371,00. O segundo vereador mais caro da década no quesito diárias para o município de Horizontina foi Adilson Abran, PDT, agora no SDD, que consumiu R$ 69.707,00.

         Depois aparecem Helvino Behling (Hupi) do PP com R$ 57.300,00. Larri Jappe (PDT) que teve o mandato cassado em 2013 retirou na década para viagens R$ 53.186,00, enquanto Airton Mattjie do PP retirou R$ 52.991,00. Alessandro dos Santos do PTB foi na última década o 6º que mais retirou diárias R$ 48.750,00. Depois aparece em 7º Álvaro Callegaro do PP com R$ 44.510,00, em 8º Aroldo Dewes (PTB) com R$ 42.569,00, em 9º aparece Paulo Fischer (PDT) com retirada de R$ 40.459,00 e em 10º Cledi Stein (ex-PDT) com R$ 38.311,00.

         Depois aparecem, pela ordem: Zuleica Wehner (PTB) R$ 36.635,00. Darci Napivoski (PT) R$ 28.100,00. Rui Hirt (PP) R$ 26.435,00. Pedro Vanderli (PSB) R$ 22.393,00.

*A matéria considera os valores retirados em diárias por agentes políticos (vereadores) acima dos dígitos de R$ 20.000,00. 

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA