HORIZONTINA/Indignação...Fundação L’hermitage abandona duas turmas de alunos do curso Normal

28/01/2015 22:54:31 - Educação
HORIZONTINA/Indignação...Fundação L’hermitage abandona duas turmas de alunos do curso Normal

Foto: Paulo R Staziaki- Jornal Folha Cidade

Decorridos quatro meses desde o anúncio de que a Fundação L’hermitage com sede em Belo Horizonte encerraria suas atividades em Horizontina, pelo menos 25 jovens concluintes do Curso Normal Médio (Magistério) agora enfrentam incertezas sobre onde poderão concluir o curso pretendido, que para 14 deles demoraria pouco mais de um semestre.

O fechamento do curso deixa os pais diante de duas alternativas; a primeira matricular seus filhos em colégio público de outra cidade (Santa Rosa) para manter o direito de certificação por escola pública e acessar o Pró UNI ao ingressar no ensino superior, prazo que encerraria nesta semana.

A outra opção seria um curso novo que aguarda autorização para ser aberto em uma instituição particular de Horizontina onde os pais teriam de arcar com no mínimo 70%, de uma mensalidade estimada em R$ 500,00. Neste caso, além da dificuldade financeira da maioria,  a certificação de conclusão do Ensino Médio não atenderia os moldes do Programa “Universidade Para Todos” que só é garantido a estudantes egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular se em condição de bolsistas integrais da própria escola, como seria no L’hermitage Cristo Rei.

PROPOSTAS

Reunidos na noite desta quarta-feira (28) no ginásio de esportes do bairro Kennedy, um grupo de mais de 50 pessoas entre pais e alunos decidiu pela criação de uma comissão que buscará apoio do Poder Público Municipal visando uma solução, que em primeiro ponto exigirá a manutenção do curso no Cristo Rei, apelando possivelmente pela via judicial demandando que a Fundação com sede em Belo Horizonte cumpra com o curso que ofertou aos alunos até a sua respectiva conclusão.

Outra proposta é que haja convênio de bolsas integrais com a escola particular local que ofertará o novo curso ou em última hipótese que o município auxilie no transporte até Santa Rosa, o que não deixará de gerar transtornos aos alunos que já trabalham em meio turno ou aos que residem no interior, que teriam de sair de suas casas ainda de madrugada retornando somente após ás 13h, pela distância que terão de percorrer entre uma cidade e outra.

Nossa reportagem buscou contato com a Fundação L’hermitage, mas até o fechamento desta edição não houve retorno de parte da demandada. Os pais reclamaram a falta de representatividade política na reunião que discutia uma solução. Somente o vereador Gerson de Moura esteve presente ao evento convocado pelas redes sociais.

O QUE DIZ A PREFEITURA

O município diz reconhecer como justa a reivindicação dos pais, e alega que não tem competência para atuar no Ensino Médio, sendo esta uma competência do Estado. Num primeiro momento intermediou entendimento com a Coordenadoria Regional de Educação para funcionamento das turmas concluintes do Normal no Colégio Cardeal Pacelli em Três de Maio, porém, nos últimos dias os pais foram informados que diante da falta de professores, não serão formadas turmas de 3º e 4º ano do Normal no referido instituto.

O Governo Municipal também destaca que está empenhado em manter no município a formação de professores e por essa razão articulou a criação do curso Normal no Centro Tecnológico Frederico Jorge Logemann, autorizado na quarta-feira (28) pelo Conselho Estadual de Educação e que aguarda publicação no Diário Oficial do Estado para efetivamente abrir seu período de matrículas. 

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA