HORIZONTINA: Padoin abre as portas da obra milionária paralisada da Câmara Municipal

24/02/2015 18:58:24 - Politica

Fotos: Paulo R Staziaki- Jornal Folha Cidade

O Presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Horizontina Averi Padoin (PP) abriu na tarde desta terça-feira as portas do prédio que abrigará a nova sede do parlamento e que se encontra em processo de investigação que apura responsabilidades sobre as falhas estruturais identificadas por um laudo de engenharia concluído no ano passado.

A ação extrajudicial busca identificar a responsabilidade de cada uma das empreiteiras ou profissionais que trabalharam na edificação, bem como, a eventual responsabilidade das gestões do parlamento ordenadoras das despesas consolidadas entre 2011 e o final de 2013.

Com mais de R$ 2 milhões já investidos na estrutura predial a situação apresentada por Padoin é revoltante. O revestimento do piso do plenário está solto. Partes do forro ficaram danificadas pelas goteiras originadas do telhado. Há rachaduras em paredes dos pavimentos superiores, erros de engenharia nos acessos a garagem e no espaço para contorno lateral do prédio pelos automóveis e o mais grave, o risco da estrutura de fundação do prédio não ser adequada para suporte, por exemplo, da lotação do plenário prevista para 400 pessoas.

Mas não para por ai. As escadas de acesso sem proteção, o plano de prevenção a incêndios não concomitante a obra foi instalado mediante quebra de paredes, a parte elétrica não está preparada para suportar a carga da climatização do prédio e falta acessibilidade na área administrativa, etc.

São visíveis emendas posteriores nos pilares de sustentação e reforços por vigamento horizontal de paredes levados a feito em alteração a planta inicial no subsolo que servirá de garagem. Infiltrações, depósito de água sem a devida vedação, falhas no acabamento de forro e revestimentos e principalmente a obra paralisada havia de um ano.

Averi Padoin diz que presta informações periódicas ao Ministério Público e a previsão é de que ocorra uma força tarefa entre MP, Presidência da Casa, Tribunal de Contas e Empresas Construtoras visando um ajustamento para recuperação das estruturas que estão em desacordo.

A conclusão das obras na fase predial ainda não tem data e o investimento ainda está sendo calculado. Falta o acabamento em paredes ainda sem reboco e pintura, parte elétrica, corrimãos e outros.

O prédio para entrar em funcionamento terá de receber as obras de climatização, mobiliário, instalações elétricas, telefônicas e de tecnologia, que também não tem seus custos estimados. A intenção de Padoin seria concluir a obra durante o ano de 2015.

SICREDI COOPERAÇÃO PREMIADA