Pesquisa realizada por acadêmica da Unijuí avalia o comportamento das mulheres na compra de joias

09/07/2015 16:27:34 - Educação
Pesquisa realizada por acadêmica da Unijuí avalia o comportamento das mulheres na compra de joias

Créditos: Divulgação

As joias representam muito mais do que moda, poder, luxo, espiritualidade, elas representam a personalidade de quem as possui e de quem as compra. Há também um mercado amplo de negócios que envolvem a produção e comercialização de cada peça, que busca identificar, mas também estabelecer tendências que melhor podem atender aos desejos dos consumidores. Buscando compreender as relações que as compradoras e usuárias estabelecem com as joias, a acadêmica do Curso de Administração da Unijuí, Daniele Cristine Ruckhaber realizou uma pesquisa com 437 mulheres, com idade entre 18 a 60 anos da região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

O questionário utilizado na coleta de dados foi composto por uma série de itens que compreendiam motivações de compra, significado das joias, e o comportamento de uso das joias no ato de presentear.

As entrevistadas quando questionadas sobre a motivação de compra, o atributo que apresentou a maior concordância por parte das mulheres para a aquisição de uma joia é a beleza (94,5%), e o preço teve concordância para 48,2% das respondentes. Já os significados e sensações associadas às joias, revelam que 52% das mulheres afirmam que as peças remetem a lembranças pessoais e para 73,8% as joias são um presente que sempre agrada.

Para 33,4% das pesquisadas as joias lembram luxo e 70% gostam da sensação de possuírem peças de ouro e 51,7% afirmam ainda que as joias de ouro possuem valor sentimental. Apesar disso, 78,7% concordam que uma joia folheada é tão bonita quanto uma de ouro e 60,7% afirmam que já deixaram de comprar uma joia de ouro para comprar uma folheada que mais lhe agradou.

Com relação ao ato de presentear os dados da pesquisa demonstram que as ocasiões onde as joias são mais indicadas para serem usadas como presentes são as Formaturas (84,7%), Dia dos Namorados (79,6%), Dia das Mães (74,1%), Aniversários (64,7%) e Casamentos (62,8%). Dentre as ocasiões menos se usam as joias para presentear estão o Dia das Crianças (17%) e Dia dos Pais (22,8%). Já os significados associados ao ato de presentear com joias, destacam-se a “criatividade na escolha é fundamental para se presentear com uma joia” (80,2%),, “é uma forma das pessoas guardarem uma boa recordação de quem presenteia” (73,3%), “é uma forma de dizer que se gosta da pessoa que recebe o presente” (72,1%) e “presentear com Joias é uma forma de transmitir amor” (71,4%).

De acordo com o professor Luciano Zamberlan, orientador da pesquisa, o ato de presentear é considerado um ritual e é um comportamento que apresenta características sentimentais e simbólicas, onde as pessoas neste processo podem vivenciar emoções, experiências cognitivas, cumprir uma obrigação, transmitir utilidade ou ainda materialismo.

Os atributos que mais são levados em conta na escolha de uma joia para presentear são a qualidade (90,2%), beleza da peça (86,2%), durabilidade (83,8%) e a utilidade (78,5%). Quando questionadas sobre as joias que as mulheres mais gostam de receber como presente destacam-se os anéis (86,9%), brincos (74,9%), pulseiras (72%) e gargantilhas (52,8%). Os brincos ocupam o primeiro lugar como a joia que as mulheres mais possuem (50,7%) e o anel é a peça indicada como mais cara que as entrevistadas possuem (44,2%).

Para a acadêmica Daniele, o estudo traz ainda muitas outras informações que permitem compreender o comportamento das consumidoras de joias e as preferências manifestadas que contribuem para traçar um perfil de compra a partir da amostra entrevistada. Tais informações podem auxiliar as empresas produtoras e revendedoras no sentido de subsidiar os gestores na tomada de decisão e na elaboração estratégias para atenderem de forma mais efetiva as consumidoras de joias.

GIRO AMBIENTAL