Pesquisa revela redução na confiança de empresários varejistas em Santa Rosa

12/06/2015 08:50:37 - Geral
Pesquisa revela redução na confiança de empresários varejistas em Santa Rosa

Créditos: Divulgação

O Curso de Administração da UNIJUÍ Câmpus Santa Rosa, com o apoio do Laboratório de Gestão, realizou nos meses de maio e junho de 2015 uma pesquisa com empresários e gestores do setor varejista de Santa Rosa. Ao total participaram 203 empresas. O estudo objetivou identificar o grau de otimismo que os empresários possuem em relação às suas atividades.

De acordo com o coordenador da pesquisa, professor Luciano Zamberlan, o Índice de Confiança do Empresário Varejista (ICEV) é um indicador de antecedência uti­lizado para previsão do nível de atividade de uma economia, neste caso, no setor de varejo. Empresários confiantes tendem a aumentar o investimento em aquisição de mercadoria, melhorias no ambiente de loja e aumento na contratação de pessoal para atender o esperado crescimento na demanda.

O indicador foi criado a partir do Projeto de Extensão em Gestão de Varejo (PROGEV), vinculado ao curso de Administração da UNIJUÍ. Para a composição deste índice considera-se o sentimento do empresário através de questões que avaliam as condições atuais e as expectativas futuras de sua própria empresa, do setor de atividade ao qual está inserida e da economia brasileira de uma forma geral. Obtidas tais informações, os índices são ponderados e cria-se um indicador geral de confiança que varia de zero a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam empresários confiantes.

 

ICEV

Junho/2015

Novembro/2014

Diferença

CONDIÇÕES ATUAIS

40,0

52,6

-12,6

Economia Brasileira

18,6

39,3

-20,7

Setor de Atividade

37,1

52,3

-15,2

Empresa

49,0

57,3

-8,3

EXPECTATIVAS

61,1

68,5

-7,4

Economia Brasileira

53,1

61,5

-8,4

Setor de Atividade

59,1

66,3

-7,2

Empresa

65,1

72,3

-7,2

ÍNDICE GERAL

54,1

63,2

-9,1

 

A partir dos dados obtidos junto de empresários e gestores de empresas varejistas de Santa Rosa, as condições atuais (economia brasileira, setor de atividade e empresa) obtiveram 40,0 pontos, e as expectativas para os próximos seis meses (economia brasileira, setor de atividade e empresa) 61,1 pontos. O índice geral foi de 54,1 pontos, o que se caracteriza como o menor indicador desde que o ICEV foi criado em 2007. Em comparação com o indicador obtido no final de 2014, a queda foi de 9,1 pontos.

Apesar da redução deste índice, os empresários ainda se mostram confiantes, pois Índice Geral se manteve superior aos 50 pontos. O ICEV de 54,1 pontos foi obtido pelo fato dos empresários terem expectativas futuras de melhora para os próximos seis meses. Porém, na avaliação das condições atuais, no qual se questionou sobre a situação atual, em comparação com seis meses atrás, da Economia Brasileira, do setor de atividade e da própria empresa, todos os índices ficaram abaixo de 50 pontos. O indicador que apresentou o menor valor foi o das condições atuais da economia brasileira, com 18,6 pontos em uma escala que vai de zero a 100.

Os setores de atividade que apresentaram os menores índices de confiança são informática, comunicação e celulares (33,2), combustíveis e lubrificantes (39,0) e veículos e peças (42,7). Já os setores em que os empresários apresentaram um indicador maior destacam-se supermercados e mercados (61,8), tecidos, vestuário e calçados (60,0) e farmácias e perfumaria (57,7).

No total foram pesquisados dez setores: informática, comunicação e celulares; supermercados e mercados; veículos e peças; bazar, presentes e decorações; móveis e eletroeletrônicos; tecidos, vestuário e calçados; combustíveis e lubrificantes; farmácias e perfumaria; ótica, relojoaria e bijuterias; materiais de construção e ferragens. Os dados da pesquisa foram coletados pelos acadêmicos do curso de Administração da UNIJUÍ e bolsistas, Dionatan Perdonsini, Gianine Tais Karlinski Santos, Samara Moser, Bruna Aline Altmann e pela analista do Laboratório de Gestão, Silvana Rodrigues.

SICREDI COOPERAÇÃO PREMIADA