Projeto habitacional de Horizontina busca dignidade e cidadania

12/05/2014 18:14:03 - Cidadania e Serviço Social
Projeto habitacional de Horizontina busca dignidade e cidadania

Obras de infraestrutura antecedem construção de 80 moradias populares

Não há lugar como a casa da gente. É com esta visão que se justificam as ações em prol das obras do inédito projeto social Meu Lar Meu Horizonte, programa habitacional do Governo Municipal de Horizontina, através de parceria intergovernamental com o Estado e a União, que estão em fase de implantação junto ao Residencial Ouro Verde.

Além da abertura das ruas e nivelamento dos terrenos, foi deflagrado o inicio das obras de esgotamento pluvial e pavimentação das ruas com piso intertravado. Na primeira etapa de obras devem ser erguidas 18 casas  que complementam a primeira fase do Minha Casa, Minha Vida e em sequência outras 62 moradias já tocadas pela CREHNOR que fazem parte de um novo projeto, liberado a partir da atual gestão do governo municipal.

Na infraestrutura da área, a prefeitura está investindo R$ 524 mil. Outros R$ 3.160.000,00( 3 milhões, 160 mil) dimensionam o investimento inédito, que garantirá casa própria para famílias de trabalhadores transformando-se no maior programa social de moradia digna da história do município.

O prefeito Nildo Hickmann, reafirma a grandiosidade do projeto, pois muito mais que construir casas e depois pensar na infraestrutura, o atual governo não abre mão de que as residências sejam um lar, que tenham acesso, qualidade, segurança e o comprometimento de todos pela inclusão.

A área foi adquirida com a finalidade de implantação de um conjunto residencial na gestão anterior do governo do município. A primeira fase com a construção de 18 casas entre 2011 e 2012 foi quase desastrosa, com a edificação sem abertura de ruas, terraplanagem não bem planejada, qualidade das moradias discutível, obras repassadas de uma empreiteira para a outra e entregues inacabadas, sem rede de iluminação pública e desprovidas de qualquer estrutura de urbanização.

As casas em área retirada, distante do centro da cidade em torno 3 quilômetros, dificultou a vida para as primeiras famílias contempladas. Em conjunto com elas, o Departamento de Habitação iniciou em 2013 um processo de melhorias, com estabelecimento da coleta de lixo, conclusão da pavimentação das ruas, adequações nas obras de esgoto, transporte escolar, rede de iluminação pública e o planejamento das áreas para as novas casas.

As 80 novas moradias, dotadas de infraestrutura de acesso ampliam o perímetro urbano e farão com que estruturas de serviços públicos sejam também estendidas ou melhor aproximadas do local, entre elas uma Unidade de Saúde entre os bairros São Francisco e Alvorada, mais escolas de Educação Infantil, praças e outros espaços públicos.

GIRO AMBIENTAL