Serviço de Urgência e Emergência do HSVP é discutido com prefeitos de seis municípios e será mantido

31/07/2015 14:21:58 - Saúde

Créditos: Anelize Katiane e Caroline Costa

Na tarde de terça-feira, 28, a direção do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) se reuniu com os prefeitos e representantes de Três de Maio, Independência, Alegria, São José do Inhacorá, Boa Vista do Buricá e Nova Candelária, para debater a situação da Urgência e Emergência. A reunião foi realizada no Auditório do Palácio Municipal Walter Ullmann e contou também com a presença do coordenador regional de Saúde, Jorge Leandro Krechowiecki.

O prefeito municipal de Três de Maio, Olívio José Casali, foi o mediador do encontro e destacou que apesar de não ser uma responsabilidade jurídica dos municípios, todos os prefeitos se esforçaram para garantir a continuidade da Urgência e Emergência do hospital.

Na oportunidade, os seis municípios presentes realizaram uma proposta ao HSVP, que compreende um repasse mensal de R$ 77 mil à entidade, para que possa ser mantido o serviço de Urgência e Emergência. A contribuição abrange os seguintes valores: R$ 50 mil de Três de Maio, R$ 12 mil de Independência, R$ 6 mil de Boa Vista do Buricá, R$ 4 mil de Alegria, R$ 2,5 mil de São José do Inhacorá e R$ 2,5 mil de Nova Candelária.

Apesar do déficit da instituição ser maior do que os valores que serão repassados pelos municípios, a direção da entidade aceitou a proposta. O contrato entre o HSVP e os municípios iniciará no mês de agosto e terá validade de seis meses, podendo ser renovado. Os municípios devem encaminhar o projeto para apreciação do Legislativo que poderá autorizar o Executivo a repassar o auxílio para a instituição.

O diretor-executivo do HSVP, Samuel Meotti, destacou a importância da entidade a nível regional, e ressaltou que algumas adequações deverão ser realizadas para que a mesma possa manter os serviços de Urgência e Emergência. “Precisamos ajustar os repasses conforme a demanda, visto que a quantidade produzida nos serviços de urgência é cerca de três vezes maior que a quantidade contratada. A fim de diminuir custos, também pretendemos transferir para Santa Rosa a referência dos serviços de média complexidade no setor de traumatologia”, enfatiza.

Em uso da palavra, o coordenador regional de Saúde, Jorge Leandro Krechowiecki, destacou que o Estado já autorizou a renovação do contrato com o hospital, em um valor entre R$ 25 e R$ 30 mil, e que a participação do prefeito Casali foi decisiva neste processo. “Por diversas vezes o prefeito Casali esteve em Porto Alegre buscando alternativas para resolver a situação entre a instituição e o Estado”, salienta.

LS NOROESTE BAZAR E PAPELARIA