UNIJUÍ disponibiliza laboratório de atividades físicas para pacientes oncológicos

25/06/2015 10:45:06 - Geral

Créditos: Rafaela Secchi - Assessoria de Comunicação

Atividades físicas pós-câncer geram incertezas em muitos pacientes oncológicos. Em que medida é possível realizar esforço físico após diagnosticado o câncer? Esse é um dos questionamentos realizados pelos pacientes oncológicos. Em parte, os pacientes também não têm a clareza de como eles podem começar com um programa de treinamento físico orientado no curso de seu tratamento e pós-tratamento.

De acordo com o oncologista, Dr. Pedro Lourega, Diretor Técnico da Oncologia Clínica do Hospital Vida e Saúde de Santa Rosa e membro titular da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) e da American Society of Clinical Oncology (ASCO), o paciente oncológico, especialmente aquele que teve o diagnóstico de câncer de mama, apresenta um amplo benefício com a prática regular de atividade física, diminuindo inclusive o risco de recorrência da doença. “A diminuição de sobrepeso e obesidade diminui a produção de hormônios do tecido adiposo, o que contribui significativamente para o funcionamento das medicações anti-hormoniais”.

A UNIJUÍ realiza atendimentos a pacientes pós-câncer, especialmente de câncer de mama, oferecendo atividades físicas no Laboratório de Atividades Físicas e Promoção à Saúde, no Câmpus Santa Rosa.

O objetivo é melhorar a utilização possível dos efeitos do treinamento físico para a saúde, com a introdução de um programa de treino eficaz, eficiente e seguro, analisando os benefícios da prática da atividade física quanto aos aspectos sociais, mentais, psicológicos do grupo de estudo, observando seu envolvimento social.

Os efeitos podem ser alcançados por meio de treinamento regular. Os pacientes poderão notar melhoras na resistência física, na qualidade de vida, aumento do bem-estar, reduzir a polineuropatia, sintomas de fadiga mental e o risco de recorrência da incidência de câncer, assim como a reconstrução e melhoria do desempenho global, força muscular e capacidade de endurance e coordenação de movimentos.

O médico oncologista destaca que a prática de atividade física melhora a tolerância das pacientes que utilizam medicamentos para combate ao câncer de mama, em especial os chamados inibidores da aromatase. Também existe uma melhora significativa dos sintomas constitucionais (anorexia, dor articular, fadiga, insônia) vivenciados pelos pacientes oncológicos. “Em relação ao diagnóstico oncológico não existe qualquer contraindicação à prática de exercícios físicos. Esta limitação se impõe somente de maneira secundária devido a outras condições como: cardiopatias e doenças articulares limitadoras”, ressalta Lourega.

Segundo o responsável pelo Laboratório e professor do curso de Educação Física, Leomar Tesche, o treinamento é personalizado e composto por vários módulos, incluindo: treinamento de resistência em diferentes ergômetros; endurance combinado e treinamento de força nos aparelhos de musculação; treinamento sensório-motor e métodos de relaxamento.

Os interessados em participar do programa de treinamento primeiramente deverão ter a concordância de seu médico oncologista. O segundo passo é realizar uma entrevista com os profissionais do laboratório levando os atuais exames médicos e laboratoriais e o terceiro passo usar vestimenta adequada para as práticas.

Tesche afirma que o objetivo da consulta clínica é inicialmente constatar sua capacidade física. “Para indicarmos o melhor programa de treinamento e controle, normalmente acompanha um teste de esforço na esteira e ou na bicicleta ergométrica. Após iremos conversar com o aluno, detalhando o procedimento de como será realizado o treinamento personalizado”.

O programa conta com as parcerias do Dr. Pedo Lourega, Dr. F. Baumann (Sporthochule Köln/Alemnha), Drª Ulrike Wilde-Gröber (Institut für Sportwissenschaft – Tübingen/Alemanha) e da acadêmica Adriana Fabrizio, do curso de Educação Física do Câmpus Santa Rosa. Inicialmente o laboratório estará desenvolvendo o atendimento especialmente a pacientes diagnosticados com câncer de mama e posteriormente estará ampliando os atendimentos.

O atendimento acontece nas terças e quintas-feiras, em três diferentes horários, Grupo A das 14h às 15h, Grupo B das 15 às 16h e Grupo C das 16h às 17h. O investimento mensal é de R$ 25,00. Mais informações podem ser obtidas no telefone 3511-5264, no período da tarde. 

SICREDI COOPERAÇÃO PREMIADA